CONHEÇA OS VENCEDORES DOS PRÊMIOS ESTUDANTIS INTERCOM 2022

27 de julho de 2022

Estão definidos os trabalhos vencedores do Prêmio Intercom de Pesquisa em Comunicação, nas categorias Doutorado, Mestrado Acadêmico, Mestrado Profissional e Graduação. Apelidada de Prêmios Estudantis, a premiação foi implantada neste ano pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom) com o objetivo de valorizar a produção científica no campo da Comunicação no Brasil, a partir do reconhecimento da qualidade de monografias, dissertações e teses desenvolvidas por estudantes, pesquisadores e pesquisadoras de todo o país.

“Os Prêmios Estudantis da Intercom são muito importantes para inspirar e incentivar novos mestrandos e doutorandos, e mesmo graduandos que têm uma inclinação para a pesquisa, mas temem essa carreira. Para mim, esse tipo de iniciativa gera um sentimento de gratidão, porque durante e após o doutorado ficamos meio sem rumo. A chegada dessa notícia me enche de ânimo, principalmente nesse cenário de desmonte da universidade pública”, afirma Raquel Dornelas da Costa Silva, autora da tese que ficou em primeiro lugar na categoria Doutorado. “E, para além do incentivo pessoal, essa premiação contribui para solidificar o campo, que enfrenta tantos dilemas e dificuldades. A Intercom consegue abarcar toda a diversidade de áreas da Comunicação, e contemplá-las nessa premiação é uma forma de consolidar, de unir todas essas especificidades e mostrar que somos um campo só. A existência de um prêmio abrangente como este fortalece nossa identidade”, completa.

Neste ano, 53 trabalhos defendidos em 2021 em instituições de todas as regiões brasileiras concorreram aos Prêmios Estudantis – indicados pelas próprias instituições – e foram avaliados pelas comissões julgadoras de acordo com os critérios estabelecidos no Regulamento. Os dez ganhadores – um de Mestrado Profissional e nove nas demais categorias (que tiveram primeiro, segundo e terceiro colocados) – são resultado de pesquisas em diferentes áreas do campo interdisciplinar da Comunicação: jornalismo, representação midiática e estudos de mídia, gênero, práticas de consumo, rádio e territorialidade, construção de marca (conheça todos os vencedores abaixo).

Para Ivana Sonegheti de Mingo, primeira colocada na categoria Mestrado Acadêmico, o prêmio é um reconhecimento “surpreendente e gratificante” após um período desafiador. “Meu objetivo era só fazer um bom trabalho, ajudar a construir conhecimento em torno do tema da radiodifusão pública para estudo e prática no rádio brasileiro. O prêmio vem como um reconhecimento de que atingi meu objetivo, mas em meio a uma pandemia. Foi algo absolutamente surpreendente e gratificante, principalmente porque esse período pandêmico foi muito cruel para a mulher na pesquisa. Enfrentei a desigualdade de gênero, a ausência de apoio financeiro para a pesquisa e os desafios da maternidade, mas consegui terminar a dissertação, o que é uma vitória para nós, mulheres pesquisadoras. Minha dissertação foi uma conquista coletiva, com o apoio da minha família e parceria na orientação”, afirma. “Produzir o trabalho é um passo importante para o pesquisador, mas a produção em uma estante na biblioteca, em minha opinião, não cumpre o papel transformador da sociedade. Minha pesquisa busca uma transformação, e o prêmio lhe dá uma visibilidade que acompanha esse objetivo. E premiar a mulher, mãe, pesquisadora é representativo”, acrescenta.

A fim de contemplar todos os âmbitos de pesquisa e produção de conhecimento na academia, os Prêmios Estudantis da Intercom têm uma categoria voltada ao Mestrado Profissional, que ainda enfrenta desafios e preconceitos. Cledilson dos Santos Araújo, vencedor na categoria com sua pesquisa desenvolvida na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), acredita que o reconhecimento contribui para reduzir a distância entre o que é produzido na academia e a realidade do mercado. “Além de incentivar a produção e o desenvolvimento dos conhecimentos pela perspectiva de quem está no mercado, acredito que o prêmio acelera um dos principais efeitos que o mestrado profissional objetiva, que é o desenvolvimento do setor produtivo do país”, avalia.

Além disso, perseguindo a missão da Intercom de promover o ensino de qualidade e cultivar a pesquisa já a partir da iniciação científica, a premiação reserva uma categoria aos trabalhos de conclusão de curso. Os três trabalhos reconhecidos na categoria Graduação foram desenvolvidos em universidades públicas (duas do Sul e uma da região Norte). “Estudantes de graduação não têm muito espaço para publicar e divulgar o que produzem na iniciação científica. Qualquer iniciativa que venha para apoiar e incentivar graduandos para a pesquisa é muito importante”, comenta Isadora Smaniotto Garcia, primeira colocada na categoria. “É um reconhecimento incrível de um trabalho para o qual destinei bastante tempo e esforço, com apoio de meu orientador. Terminei a graduação neste mês e recebi a notícia do prêmio exatamente no dia da colação de grau, para fechar esse ciclo com chave de ouro. Ainda estou processando!”, comemora, acrescentando que agora vai se dedicar à formação prática e à reorganização da rotina, mas que, no médio prazo, pretende ingressar no mestrado para aprofundar sua pesquisa em curadoria jornalística.

Os depoimentos dos(as) quatro primeiros(as) colocados(as) dos Prêmios Estudantis 2022 serão publicados nos próximos dias na página da Intercom no Facebook e no perfil institucional no Instagram. Não perca!

A solenidade de premiação será realizada no dia 7 de setembro, às 19h30, no Cine Aruanda, localizado no campus I da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa, como parte da programação do 45º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom 2022). As inscrições no congresso nacional seguem abertas até o dia 12 de agosto.

CONHEÇA OS GANHADORES:

DOUTORADO

1º colocado
Trabalho: Dos crimes sexuais aos patriarcais: narrativas de violência contra a mulher no Jornal do Brasil e no Estado de S. Paulo – 1910 a 2010
Autora: Raquel Dornelas da Costa Silva
IES: Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPG em Comunicação)

2º colocado
Trabalho: Projeto de cidade: comunicação, consumo e lógicas de produção
Autora: Adriana Lima de Oliveira
IES: Escola Superior de Propaganda e Marketing (PPG em Práticas de Consumo)

3º colocado
Trabalho: O que resta do corpo: disputas de sentido em textualidades sobre assassinatos de travestis e transexuais
Autora: Dayane do Carmo Barretos
IES: Universidade Federal de Minas Gerais (PPG em Comunicação Social)

MESTRADO ACADÊMICO
1º colocado
Trabalho: As emissoras estatais de rádio e a radiodifusão de serviço público: estudo de caso sobre as emissoras de rádio vinculadas ao Poder Executivo no Brasil
Autora: Ivana Sonegheti de Mingo
IES: Universidade Federal do Espírito Santo (PPG em Comunicação e Territorialidades)

2º colocado
Trabalho: Da aldeia à alta gastronomia: a trajetória da Pimenta Baniwa, práticas de consumo e representação midiática
Autora: Andreza Silva de Andrade
IES: Universidade de Brasília (PPG em Comunicação)

3º colocado
Trabalho: Jornalismo independente brasileiro e a participação de adolescentes: uma análise sobre a produção de cinco organizações jornalísticas
Autor: Alexandre Cunha da Silva
IES: Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PPG em Estudos de Mídia)

MESTRADO PROFISSIONAL
1º colocado
Trabalho: Propósito, personalidade e emoção como vias para a construção de sentidos da marca Nubank
Autor: Cledilson dos Santos Araújo
IES: Universidade Federal de Uberlândia (PPG em Tecnologias, Comunicação e Educação)

GRADUAÇÃO
1º colocado
Trabalho: A curadoria jornalística via Whatsapp como forma de enfrentamento aos caos informativo: uma análise do projeto Zap Matinal
Autora: Isadora Smaniotto Garcia
IES: Universidade Federal do Rio Grande do Sul

2º colocado
Trabalho: A invisibilidade da Premissa I = I sobre HIV/Aids na mídia: uma análise da cobertura jornalística no Brasil e na revista Poz, dos Estados Unidos
Autora: Caroline Knup Tonzar
IES: Universidade Estadual de Londrina

3º colocado
Trabalho: O silenciamento do Movimento Indígena no jornal Folha de Boa vista: a narrativa jornalística ante o relatório e portaria de demarcação da Terra Indígena Raposa Serra do Sol
Autor: Fábio Gonçalves de Almeida
IES: Universidade Federal de Roraima

intercom BRIGADEIRO

SÃO PAULO - SP
(11) 91628-5225
AV. BRIG. LUÍS ANTÔNIO, 2.050 - CONJ. 36- BELA VISTA
SECRETARIA@INTERCOM.ORG.BR



HORÁRIO DE ATENDIMENTO:
SEGUNDA A SEXTA-FEIRA, DAS 8H ÀS 12H E DAS 13 ÀS 17H (ATENÇÃO: NOS MESES DE JULHO E AGOSTO NÃO HAVERÁ ATENDIMENTO PRESENCIAL.
ENTRE EM CONTATO POR E-MAIL OU POR TELEFONE. O ATENDIMENTO TELEFÔNICO É DAS 9H ÀS 16H).




Desenvolvido por Kirc Digital - www.kirc.com.br