INFORMATIVO INTERCOM, SÃO PAULO, 10 DE MARÇO DE 2021

INTERCOM ABRE CHAMADA PÚBLICA À PROPOSIÇÃO DE GRUPOS DE PESQUISA

Propostas serão recebidas em outubro e novembro, como parte de processo participativo de reestruturação dos GPs iniciado em 2018

Leia também:
• Prepare-se para o Expocom 2021
• Relações Internacionais: pesquisadores têm até 31/03 para responder a questionário
• Chamada de artigos para livro do GP Comunicação, Mídias e Liberdade de Expressão
• Pesquisa levantará perfil dos profissionais e docentes de Jornalismo
• Notícias de parceiros da Intercom

A Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom) acaba de publicar chamada à proposição de Grupos de Pesquisa (GPs). O período de envio será de 1° de outubro a 30 de novembro de 2021, de forma que pesquisadores e pesquisadoras tenham o tempo necessário para se mobilizar e estruturar suas propostas.

A reestruturação dos GPs da Intercom começou a ser discutida ainda em março de 2018. Nos últimos três anos, um processo participativo envolvendo as coordenações dos 34 GPs atuais, membros do Conselho Curador e a Diretoria Executiva da entidade amadureceu o modelo que agora se apresenta na chamada pública. “Fizemos consultas às bases da Intercom para garantir a dinamicidade que deve marcar a estrutura de produção científica da Intercom. Com as propostas vindas diretamente de coletivos de pesquisadores, teremos a oportunidade de captar o que há de mais atual nas Ciências da Comunicação e definir horizontes de pesquisa”, afirma o professor Giovandro Marcus Ferreira (UFBA), presidente da Intercom.

A professora Nair Prata (UFOP), diretora Científica da entidade, ressalta que é importante que os interessados já comecem a se mobilizar, para criar propostas qualificadas e que cumpram os critérios e requisitos estabelecidos na chamada pública –, por exemplo, requisitos mínimos de filiação, titulação e local de origem dos pesquisadores signatários, adequação da proposta em termos científicos e indicação de atividades a serem desenvolvidas. Além disso, é importante estudar as Normas Regimentais dos GPs, que devem ser contempladas pelas propostas.

“Tanto o regimento como os critérios apresentados na chamada pública são o resultado maduro de um processo de três anos, que envolveu duas comissões especiais e muito diálogo com a comunidade da Intercom”, afirma a diretora Científica. “Com isso, nosso intuito é que os GPs da Intercom reflitam os movimentos da pesquisa em Comunicação, sendo coletivos ainda mais dinâmicos, atuantes e fortes.”

As propostas serão analisadas pela Comissão de Avaliação dos Grupos de Pesquisa da Intercom, que contará com representação da Diretoria Executiva em exercício, da Diretoria Científica (gestões atual e anterior), do Conselho Curador e das atuais coordenações de GPs. O presidente ou o vice-presidente em exercício da Intercom será o observador da avaliação e seleção de propostas. O resultado será divulgado até 15 de fevereiro de 2022, para início imediato de funcionamento dos GPs aprovados.

Mais informações:

CHAMADA À PROPOSIÇÃO DE GRUPOS DE PESQUISA

• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

REGULAMENTO DO PRÊMIO EXPOCOM 2021 ESTÁ NO AR

O regulamento da 28a edição da Exposição de Pesquisa e Produção Experimental em Comunicação (Expocom) já está disponível no Portal Intercom. É recomendado que os interessados em participar leiam o regulamento atualizado a fim de se preparar para o processo de inscrição e submissão, que será iniciado no dia 5 de abril.

O prêmio anual da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom) voltado a trabalhos experimentais produzidos na graduação será realizado em formato 100% virtual, com as apresentações e premiações das cinco etapas regionais compondo a programação do Encontro Inter-regiões Intercom, marcado para a primeira semana de agosto.

ETAPA LOCAL

IES faz a seleção e a indicação de trabalhos

Nesta etapa, cabe a cada instituição de ensino superior (IES) selecionar os trabalhos a serem indicados para a etapa regional.

A IES deve ser representada por um único professor, responsável pela indicação de todos os trabalhos dessa instituição no sistema eletrônico do Expocom. Neste ano, são 65 modalidades distribuídas entre as seis categorias (Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Relações Públicas e Comunicação Organizacional, Cinema e Audiovisual, Produção Transdisciplinar e Rádio, TV e Internet), e cada IES pode indicar apenas um trabalho por modalidade.

A IES é a primeira responsável por garantir que trabalhos não sejam desclassificados por não atender aos requisitos do Expocom. Por isso, é fundamental que a coordenação da instituição conheça as regras do Expocom 2021 para fazer a seleção adequada de trabalhos. Alguns tópicos que merecem especial atenção: cada estudante pode ser indicado apenas uma vez como aluno líder (mas pode ser coautor em mais de um trabalho), e há normas específicas quanto a estudantes em mobilidade; há parágrafos do regulamento que regem sobre o casos de cursos ofertados em EaD e multicampi; o texto do regulamento também traz informações importantes sobre os trabalhos resultantes de projeto de extensão ou TCC e os produzidos em agência escola/júnior.

As IESs poderão indicar os trabalhos no sistema do Expocom 2021 a partir do dia 5 de abril, respeitando os seguintes prazos:

  • Sul: até 20 de maio
  • Nordeste: até 21 de maio
  • Sudeste: até 25 de maio
  • Centro-Oeste: até 27 de maio
  • Norte: até 28 de maio

ETAPA REGIONAL

Aluno líder faz sua inscrição no Inter-regiões

Feita a indicação do trabalho pela IES, cabe ao aluno líder fazer sua inscrição no Encontro Inter-regiões Intercom, dentro do prazo estabelecido para sua região:

  • Sul: até 19 de maio
  • Nordeste: até 21 de maio
  • Sudeste: até 24 de maio
  • Centro-Oeste: até 26 de maio
  • Norte: até 28 de maio

O sistema de inscrições estará disponível a partir do dia 5 de abril.

A inscrição de coautores no Inter-regiões não é obrigatória, porém é necessária para obtenção do certificado de participação no Expocom.

Aluno líder submete o trabalho

Com a inscrição validada (mediante confirmação do pagamento), o passo seguinte é submeter o trabalho: o aluno líder deve preencher o relatório do trabalho e anexar o produto no sistema da Intercom. Vale ressaltar que apenas o aluno líder indicado pela IES e inscrito no Inter-regiões pode fazer a submissão. Assim como no caso dos docentes responsáveis, é altamente recomendado que o aluno leia atentamente o regulamento do Expocom e a ementa de sua modalidade.

Os prazos para submissão também são definidos por região:

  • Sul: até 21 de maio
  • Nordeste: até 24 de maio
  • Sudeste: até 26 de maio
  • Centro-Oeste: até 28 de maio
  • Norte: até 31 de maio

Apresentação e premiação

Os resultados da avaliação de cada região serão divulgados em datas distintas, a partir das quais os autores terão um prazo para enviar o vídeo de apresentação do trabalho (também via sistema eletrônico no Portal Intercom). Os vídeos de trabalhos finalistas serão disponibilizados em salas virtuais, às quais terão acesso os avaliadores e os participantes inscritos no Encontro Inter-regiões Intercom.

Os vencedores regionais de cada modalidade serão anunciados na primeira semana de agosto, nas cinco cerimônias virtuais que fazem parte da programação do Inter-regiões. Esses vencedores serão os finalistas da etapa nacional, a ser realizada durante o 44º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom 2021), cuja data ainda está sendo definida.

Clique aqui para ver o calendário completo das etapas regionais do Expocom 2021.

Não deixe para a última hora! Consulte o regulamento do Expocom 2021 e se prepare para todas as etapas da principal premiação de trabalhos experimentais voltada a estudantes de Comunicação!

• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

DIRETORIA CONSULTA COMUNIDADE DE PESQUISA SOBRE INTERNACIONALIZAÇÃO

Uma das grandes missões da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom) é promover a integração internacional no campo das Ciências da Comunicação. Para tanto, realiza eventos científicos multilaterais e bilaterais, incentiva a participação de pesquisadores brasileiros em eventos e publicações estrangeiros e estreita continuamente os vínculos institucionais com entidades globais, regionais e locais.

Com o intuito de conhecer melhor as demandas e potencialidades da comunidade científica da Comunicação em termos de internacionalização, a Diretoria de Relações Internacionais da Intercom, atualmente comandada pelo professor Edgard Rebouças (Ufes), quer ouvir pesquisadores, estudantes e docentes – associados ou não à Intercom – sobre o assunto. Até o dia 31 de março, estão todos convidados a responder a um breve questionário on-line.

As respostas vão contribuir para o planejamento das atividades da Diretoria de Relações Internacionais, de modo a fomentar ainda mais a internacionalização da Intercom e de sua comunidade.

Participe! Clique aqui para acessar o questionário.

• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

GP COMUNICAÇÃO, MÍDIAS E LIBERDADE DE EXPRESSÃO RECEBE TEXTOS PARA NOVO LIVRO

O Grupo de Pesquisa (GP) Comunicação, Mídias e Liberdade de Expressão da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares em Comunicação (Intercom) está com chamada aberta de artigos para o livro "Comunicação, Mídias e Liberdade de Expressão no século XXI: modos censórios, resistências e debates emergentes". Os textos devem ser enviados até o dia 1º de junho para o e-mail gp.liberdade.expressao@intercom.org.br.

Confira a chamada completa:

A coordenação do Grupo de Pesquisa Comunicação, Mídias e Liberdade de Expressão, da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares em Comunicação (INTERCOM), tem a satisfação de convidá-lo(a) a submeter artigo de sua autoria para a composição do livro "Comunicação, Mídias e Liberdade de Expressão no século XXI: modos censórios, resistências e debates emergentes", com lançamento previsto para o segundo semestre de 2021. A obra reunirá estudos que discutam, investiguem e problematizem, teórica e empiricamente, as temáticas da liberdade de expressão e da censura, incluindo as formas de resistência a práticas censórias e os contornos do debate público sobre tais questões, na perspectiva da contemporaneidade.

Os textos devem adequar-se à temática geral da chamada e ao escopo do Grupo de Pesquisa, que propõe o estudo da liberdade de expressão e da censura a partir do campo da Comunicação, respeitando a interdisciplinaridade própria dessa área de conhecimento. Nesse sentido, os trabalhos podem explorar interfaces com áreas afins: esse diálogo, feito por meio de análises históricas, político-culturais, discursivas, entre outras, contribui ao alargamento dos estudos de liberdade de expressão e seus constrangimentos.

Podem submeter capítulos doutores(as), doutorandos(as), mestres e mestrandos (as). Especialistas, estudantes de especialização e graduados(as) podem submeter textos em coautoria com doutores(as), doutorandos(as) e mestres(as).

Eixos temáticos possíveis:

A partir da temática geral da chamada, os capítulos podem abordar os seguintes eixos de discussão:

I – Processos censórios e formas de cerceamento da liberdade de expressão, na atualidade ou no passado (desde que, no último caso, estabelecidas relações com o contexto do século XXI), investigados por meio de análises documentais, manifestações na opinião pública, registros e testemunhos na cultura midiática e aspectos jurídico-legais.

II – Práticas emergentes de resistência, observadas nas mídias e/ou nas artes, em relação a mecanismos censórios e outras formas de cerceamento à liberdade de expressão.

III – Representações da censura e da liberdade de expressão em textos midiáticos (verbais, audiovisuais ou digitais), os quais podem ser analisados em seus aspectos discursivos, culturais, políticos, retóricos etc.

IV – Processos de recepção por parte dos públicos diante de episódios censórios e formas diversas de cerceamento à liberdade de expressão na cultura midiática.

V – Debates contemporâneos sobre liberdade de expressão à luz não mais de sua dimensão puramente negativa (a liberdade de expressão entendida como ausência de censura), mas sim, em face das perspectivas de pluralismo e democratização do acesso ao debate público, da visibilidade de minorias (ou maiorias minorizadas) e grupos oprimidos e estigmatizados, do direito à autorrepresentação, do lugar de fala e das discussões sobre reconhecimento.

VI - As questões da desinformação, dos negacionismos e revisionismos, na medida em que suscitem reflexões sobre o exercício da liberdade de expressão, a regulação das práticas midiáticas e o debate sobre censura.

VII – Estudos teóricos sobre as dimensões conceituais da censura e da liberdade de expressão no campo da Comunicação.

Submissão dos capítulos:

Os capítulos devem ser originais ou inéditos ou corresponder a versões atualizadas de artigos publicados em anais de eventos.

O envio dos originais deve ser feito por e-mail (gp.liberdade.expressao@intercom.org.br) até o dia 1º de junho de 2021.

Os capítulos devem ser enviados em sua versão final (propostas ou versões preliminares serão recusadas), em formato Word (.doc). Não é preciso colocar o capítulo em template específico, mas ele deve ser formatado de acordo com as regras de submissão de artigos para o Congresso da Intercom, que podem ser consultadas neste link: https://www.portalintercom.org.br/uploads/wysiwyg/modelopadrao2020gps.docx

O resultado da avaliação dos capítulos será informado aos(as) autores(as) até 1º de julho de 2021, por e-mail.

Organização:

Profa. Dra. Nara Lya Cabral Scabin (PPGCOM - Universidade Anhembi Morumbi) - Coordenadora do GP Comunicação, Mídias e Liberdade de Expressão

Profa. Dra. Andrea Limberto Leite (SENAC) - Vice-coordenadora do GP Comunicação, Mídias e Liberdade de Expressão

• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

PESQUISA VAI TRAÇAR O PERFIL DO JORNALISTA BRASILEIRO

Está lançada a pesquisa “Perfil do Jornalista Brasileiro 2021: características sociodemográficas, políticas, de saúde e do trabalho”, realizada coletivamente pela Rede de Estudos sobre Trabalho e Identidade dos Jornalistas (Retij), vinculada à Associação Nacional dos Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor), com organização dos Programas de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJOR) e Sociologia e Ciência Política (PPGSP), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

A coleta de dados, via aplicação de questionário, está programada para o período entre final de abril e início de junho, com o apoio da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom) na divulgação e mobilização da comunidade. “A Intercom considera extremamente importante conhecer o perfil dos profissionais que hoje atuam no jornalismo brasileiro e dos docentes que estão formando os futuros jornalistas. Por isso, estamos chamando quem atua nos segmentos pesquisados a responder ao questionário e contribuir para esse estudo”, explica a professora Ivanise Hilbig de Andrade (UFBA), diretora de Documentação da entidade.

O estudo vai atualizar uma pesquisa realizada em 2012 e publicada em 2013, que detalhou características demográficas, políticas e de trabalho de três segmentos profissionais do jornalismo (na mídia, fora da mídia e docência) com base nas respostas de 2.731 profissionais de todos os estados brasileiros. Para fins comparativos, parte do questionário do levantamento da primeira pesquisa será mantido, mas haverá mudanças e inclusão de novas questões. Isso porque, além de atualizar os dados, a pesquisa deste ano pretende contribuir com, pelo menos, três novos temas de enorme importância para a categoria profissional: a precarização do trabalho jornalístico; as condições de saúde laboral; os efeitos das inovações tecnológicas nos saberes e fazeres da profissão.

“Nos últimos anos, um número crescente de pesquisas sobre a precarização do trabalho dos jornalistas no Brasil tem revelado indicadores de saúde preocupantes. Por exemplo, cinco anos após a pesquisa de 2012, pesquisadores da Retij fizeram uma nova sondagem com parte da mesma amostra e os resultados foram impactantes: 57% dos profissionais afirmaram estar estressados e 37% tinham recebido diagnóstico de estresse; 16% haviam sido diagnosticados com transtorno mental; 24% sofriam de LER/DORT; e 26% faziam uso regular de antidepressivos”, explica o professor Samuel Lima (UFSC), coordenador da pesquisa “Perfil do Jornalista Brasileiro 2021”. “Ao mesmo tempo, apenas 12% dos entrevistados em 2017 trabalhavam a jornada mínima da categoria. Esse tipo de constatação nos motivou a incluir questões relacionadas à saúde e à precarização do trabalho.”

O estudo de 2021 conta com o apoio institucional das seguintes entidades: Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Associação Profissão Jornalista (APJor), Associação Nacional de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor) e Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo (Abej), além do apoio da Intercom na divulgação.

Mais informações sobre a pesquisa no site, no Facebook, no Instagram e no Twitter.

• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

NOTÍCIAS DE PARCEIROS DA INTERCOM

Compós 2021 – Segue aberta até 25 de março a chamada de trabalhos para o 30° encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação (Compós), que será realizado de 27 a 30 de julho. Informações e submissões no site da entidade.

Revista Paradoxos – A publicação do Programa de Pós-Graduação em Tecnologias, Comunicação e Educação da Universidade Federal de Uberlândia (PPGCE/UFU) recebe, até o dia 3 de maio, artigos inéditos para seu v. 6, n.1 (jan/jun 2021), cuja publicação está prevista para julho. Mais informações no site da revista.

Podcasts IFPB – O Instituto Federal da Paraíba (IFPB), campus João Pessoa, convida a comunidade da Intercom a conferir o projeto “O Assunto É”, que produz e publica quinzenalmente podcasts de divulgação técnica e científica e de orientação profissional. Os episódios, desenvolvidos desde março de 2020, podem ser ouvidos no YouTube, no Spotify e no Google Podcasts.

intercom pinheiros

SÃO PAULO - SP
(11) 2574 8477 | (11) 3596 4747
R.JOAQUIM ANTUNES, 705 - PINHEIROS - 05415-012
SECRETARIA@INTERCOM.ORG.BR



Horário de atendimento:
Segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13 às 17h


intercom BRIGADEIRO

São Paulo - SP
(11) 3892 7558
AV. BRIG. LUIS ANTÔNIO, 2.050 - CONJ. 36- BELA VISTA